Voltar para Home

Intolerância à lactose

É verdade que nem todo mundo consegue digerir direito
o açúcar do leite, mas já existem tratamentos

divisoria

Tem gente que gosta de leite, mas precisa reduzir seu consumo por recomendação médica. A principal razão para isso é a intolerância à lactose, ou seja, a dificuldade de digerir completamente o açúcar do leite. Essa é uma disfunção do intestino, que perde a capacidade de produzir uma quantidade suficiente de lactase, a enzima que divide a lactose em partes menores.

Para digerirmos completamente a lactose, ela precisa ser quebrada em dois carboidratos: a glicose e a galactose. No intestino delgado de uma pessoa saudável, essa reação acontece, e as moléculas menores são liberadas no sangue para serem aproveitadas pelo organismo. Quem tem intolerância, porém, não tem lactase suficiente para realizar essa tarefa. Por isso, a lactose segue, intacta, para o intestino grosso, onde será fermentada por bactérias, causando gases, dores abdominais e diarreia.

Fonte: Antonio Frederico Magalhães, professor titular de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Unicamp

Fonte: Antonio Frederico Magalhães, professor titular de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Unicamp

No Brasil não há um consenso, mas estima-se que entre 40% e 60% da população seja intolerante à lactose. “É comum haver uma diminuição da produção de lactase em adultos. E isso é determinado geneticamente, não tem causas externas”, explica o gastroenterologista Antonio Frederico Magalhães, professor titular de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

O método mais utilizado para diagnosticar a intolerância à lactose é um exame de sangue. Tudo começa com a coleta de sangue para medir a glicemia (nível de glicose no sangue). Depois, o paciente ingere uma substância com lactose e tira sangue novamente mais algumas vezes, para medir a evolução da glicemia. No final do exame, se o açúcar no sangue não atingir um nível mínimo, é sinal de intolerância à lactose. Afinal, uma pessoa saudável, que a digere completamente, consegue transformá-la em glicose, que entra na corrente sanguínea e eleva a glicemia.

Nesses casos, não tem jeito: é preciso reduzir a ingestão de leite e derivados. “O limite de consumo diário é definido pelo médico de acordo com a tolerância de cada indivíduo”, afirma Magalhães. Outras opções são consumir produtos zero lactose ou ingerir, sob orientação médica, comprimidos de lactase antes de ingerir leite ou algum alimento que o contenha.

VEJA TAMBÉM:

Next Post

Previous Post

1 Comment

  1. Ivone Martins setembro 19, 2016

    É sempre muito importante saber o que é alergia e o que é intolerância, parabéns a esta empresa PIRACANJUBA, POR SE PREOCUPAR COM SEUS CONSUMIDORES!

    Foi muito esclarecedor,